Hilder Santos

A Campus Party Salvador precisa de você

O ano era 2008.

Nesse período, fui chamado para palestrar em um evento que aconteceria aqui em Salvador e que era ponto de encontro de blogueiros de todo o Brasil: o BlogCamp. Palestrei sobre a importância de usar o WordPress mesmo quando a maioria ainda usava o Blogger, e sou extremamente grato pelas pessoas que conheci nesse evento, muitas das quais mantenho contato até hoje.

BlogCamp Salvador
Pessoal do BlogCamp Salvador, em 2008. Crédito: Eduardo Sales

Mesmo com os bons frutos colhidos, infelizmente, nem tudo são flores. Embora as amizades tenham perdurado ao longo do tempo, vamos ser sinceros: o BlogCamp Salvador não foi exatamente um sucesso. O WordCamp (que aconteceu aqui há quase 3 anos), também não.

O sucesso ao qual me refiro não é em relação à organização do evento: eu falo da vontade absurda de repetir a dose, da comunidade regional ativa, da união, do networking, do aprendizado de verdade, e não apenas da vitrine.1 Eventos como estes não são movidos apenas a palmas eloquentes, slides e brindes - é preciso muito mais paixão para fazer com que as coisas não definhem, e nesse sentido, os dois fracassaram. O que percebo é que há um grande esforço em trazer o evento pra cá, mas pouquíssimo empenho em manter. E a culpa disso está em nós mesmos.

Ter uma Campus Party em Salvador é ótimo, principalmente por conta da organização, que vem diretamente do Governo. É o maior evento de tecnologia do mundo e isso pode abrir muitas portas para nós, mas pra isso acontecer de verdade, você precisa estar lá, precisa se fazer presente. Precisa ir como se fosse ao show daquela banda que você esperou há anos que tocasse em sua cidade. E não é pela vitrine: é pela paixão mesmo, pela diversão de conhecer um monte de coisa nova, de ver as novas tendências tecnológicas, de gritar com realidade virtual, de ter um Wi-Fi extremamente rápido durante 5 dias, de participar do happy-hour, de tirar selfie com cara de nerd (ou não). De conhecer gente nova, gente boa, gente com os mesmos gostos que os seus, ou gente totalmente diferente. É se tornar “campuseiro” de verdade, saber onde você está, e sair de lá feliz e com vontade de repetir a dose no próximo ano.

Mas nada disso vai acontecer se você resolver ficar em casa. E é por isso que a Campus Party Salvador precisa de você: para que ela possa voltar ano que vem, ajudando nossa Cidade a sair dessa inércia tecnológica em que se encontra há muito tempo. Ainda há bastante tempo para se organizar: o evento acontece de 9 a 13 de Agosto, na Arena Fonte Nova. Se fazendo presente, aproveitando a oportunidade ao máximo, garantimos que outras Campus Parties sejam realizadas aqui.

Muitos amigos meus entregaram as cartas e foram trabalhar em São Paulo porque a realidade das agências digitais de Salvador é péssima. O que mais se vê é gente querendo “fazer site”, mas pouca inovação em oferecer algo mais completo - com as devidas exceções, estas contadas à dedo. Eu continuo aqui porque ainda acredito que, mesmo que dependa de muito esforço, as coisas podem melhorar. Foi um dos motivos que me fizeram criar a Falkor, para tentar mudar um pouco essa realidade através de inovação e novos serviços (que devem aparecer no nosso portfólio em breve, mas isso é uma outra história). Eu gostaria muito, de verdade, de ver a cena digital evoluindo aqui, embora eu saiba que é um sonho difícil de ser conquistado.

Pra mim, ter um evento como este todo ano já seria uma grande vitória. Nós precisamos de uma Campus Party aqui.

E a Campus Party Salvador precisa de você.


  1. Toquei em algumas bandas na minha adolescência e a produtora de uma delas queria muito colocar a gente no circuito do Carnaval de Salvador, em uma época um pouco distante. Ela dizia que a festa era uma “vitrine”, ou seja: não importa se você fosse conhecido ou não, ou até mesmo se fosse bom ou não - o importante era aparecer. Hoje uso esse termo para definir momentos em que o se mostrar é mais relevante que o se tornar. Por isso, sou resistente a essa ideologia, embora ela se torne válida em algumas situações. 

comments powered by Disqus